América vira sobre Cruzeiro no fim e fica perto de vaga na final do Mineiro

ESPORTE

Substituições realizadas por Lisca surtem efeito, e Coelho aumenta vantagem sobre a Raposa na semifinal do estadual

(Por  Rafael Arruda /Superesportes-Estado de Minas)

Jogadores do América comemoram gol da virada marcado por Ademir (Foto: Alexandre Guzanshe/EM D.A Press)

A partida de ida da semifinal do Campeonato Mineiro parecia caminhar para um resultado favorável ao Cruzeiro, porém o América foi premiado pela insistência e venceu de virada por 2 a 1, neste domingo, no Mineirão.
Os gols do Coelho saíram em finalizações de Alê, aos 40 minutos do segundo tempo, e Ademir, aos 44. Leandro Carvalho deu assistência em ambos os lances. Já o tento celeste foi assinalado por Rafael Sobis, aos 40 da etapa inicial, em jogada validada pelo VAR.
Após o apito final, houve um bate-boca entre jogadores e integrantes da comissão técnica dos dois clubes na descida para os vestiários. Os cruzeirenses alegaram ter sido provocados por Lisca.
Como fez campanha superior na primeira fase – 2º lugar, com 22 pontos -, o América poderá até perder por um gol de diferença no confronto de volta, agendado para domingo (9), às 16h, no Independência.

Na outra semifinal, o Atlético construiu um placar confortável ao golear o Tombense nesse sábado, por 3 a 0, no Horto.

O jogo
Mesmo com William Pottker brilhando com dois gols e uma assistência na vitória do Cruzeiro sobre o Patrocinense por 4 a 0, Felipe Conceição optou pela escalação de Rafael Sobis, que cumpriu suspensão na 11ª rodada. No América, Lisca voltou a contar com o lateral-esquerdo João Paulo, poupado no triunfo por 5 a 0 em cima da URT em razão de desgaste muscular.
Os primeiros dez minutos do clássico foram de domínio na posse (62% a 38%) e marcação alta do Cruzeiro. Airton, Bruno José e Rafael Sobis apertavam a saída de bola americana e obrigavam Eduardo Bauermann e Anderson a darem chutões. Por outro lado, os zagueiros celestes Weverton e Ramon tinham espaço para a transição, visto que não estavam tão pressionados pelos adversários.
Apesar da intensidade das equipes, a primeira chance perigosa só veio aos 21 minutos, depois de um descuido do sistema defensivo do Cruzeiro. A bola ficou viva na grande área e sobrou para Felipe Azevedo, que encheu o pé buscando o canto direito e por pouco não abriu o placar para o América. Fábio se esticou e espalmou para o lado.
A Raposa respondeu à altura, aos 31 minutos, em arremate de fora da área de Rafael Sobis. Um desvio sutil de Diego Ferreira modificou a trajetória da bola e quase complicou Matheus Cavichioli. O goleiro do América tentou segurar firme – porém, ao perceber que cairia dentro do gol, conseguiu soltar a redonda à linha de fundo com uma técnica semelhante à de um levantador de vôlei.
A partida seguiu lá e cá, com Raposa e Coelho tentando abrir o placar. Aos 35 minutos, Rodolfo cobrou falta de média distância no canto direito, e Fábio rebateu à lateral. Aos 36, o camisa 1 do Cruzeiro venceu mais um duelo contra o centroavante americano, que estava impedido no momento do arremate.
O Cruzeiro inaugurou o marcador aos 37 minutos em jogada que começou com lançamento de Raúl Cáceres, arrancada e assistência de Bruno José e chute rasteiro de pé esquerdo de Rafael Sobis:
1 a 0. O assistente número dois, Marcus Vinícius Gomes, assinalou impedimento, mas o VAR revisou o lance e verificou que o lateral-direito Diego Ferreira dava condições ao ponta-direita cruzeirense. Gol validado aos 40 minutos.
Sem alterações no intervalo, os times deram continuidade ao jogo lá e cá na etapa complementar. Um passe em diagonal de Felipe Azevedo, aos 8 minutos, achou Rodolfo livre na grande área. A conclusão de primeira do centroavante do América carimbou o travessão de Fábio.
Aos 13 minutos, o Cruzeiro comemorou novamente ao fez o segundo gol com Airton, depois de chute mascado de Rafael Sobis. No entanto, a felicidade azul deu lugar à frustração quando o VAR entrou novamente em ação. Matheus Barbosa estava adiantado no começo da jogada.
No transcorrer do duelo, os dois treinadores tentaram renovar o gás dos times com opções no banco de reservas. Felipe Conceição colocou Matheus Neris, Jadson, Felipe Augusto, Stênio e William Pottker. Lisca chamou Leandro Carvalho, Gustavo, Ribamar e Ademir.
As alterações de Lisca deram mais resultado, já que o América equilibrou o volume de jogo e acuou o Cruzeiro em seu campo. A reação começou aos 40min, quando Leandro Carvalho cobrou escanteio no primeiro poste, e Alê cabeceou para empatar: 1 a 1.

A virada veio aos 44, com Ademir, que tocou a ponta da chuteira na bola após nova assistência de Carvalho e deixou o Coelho em cenário bastante favorável na luta por uma vaga na decisão: 2 a 1.

CRUZEIRO 1X2 AMÉRICA
CRUZEIRO
Fábio; Cáceres, Weverton, Ramon e Matheus Pereira; Adriano (Matheus Neris, aos 29min do 2ºT), Matheus Barbosa (Jadson, aos 35min do 2ºT) e Rômulo; Bruno José (Felipe Augusto, aos 35min do 2ºT), Airton (Stênio, aos 26min do 2ºT) e Rafael Sobis (William Pottker, aos 26min do 2ºT)
Técnico: Felipe Conceição
AMÉRICA
Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Anderson, Eduardo Bauermann e João Paulo (Marlon, aos 47min do 2ºT); Zé Ricardo, Juninho (Ademir, aos 34min do 2ºT) e Alê; Bruno Nazário (Leandro Carvalho, aos 21min do 2ºT), Felipe Azevedo (Ribamar, aos 21min do 2ºT) e Rodolfo (Gustavo, aos 21min do 2ºT)
Técnico: Lisca
Gols:
Rafael Sobis, aos 40min do 1ºT (Cruzeiro); Alê, aos 40min, e Ademir, aos 44min do 2ºT (América)
Cartões amarelos: Jadson, aos 36min do 2ºT (Cruzeiro); Lisca, aos 41min do 1ºT; Gustavo, aos 51min do 2ºT(América)
Motivo: jogo de ida da semifinal do Campeonato Mineiro
Estádio: Mineirão
Data: domingo, 2 de maio de 2021
Árbitro: Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira
Assistentes: Celso Luiz da Silva e Marcus Vinícius Gomes

(Fonte:mg.superesportes.com.br)

COMPARTILHAR